O uso de energia solar no agronegócio em todo o país tem crescido nos últimos tempos. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), no final do primeiro trimestre de 2019 cerca de 32.963 kWp foram produzidos,

Neste texto, explicaremos como funciona esse modelo de eletricidade, além de como os painéis elétricos e demais equipamentos necessários são instalados para que o produtor rural possa usufruir da sua energia solar.

Ficou interessado no assunto? Então continue a leitura e confira!

Como a energia solar é produzida?

Para se ter energia solar da maneira mais comum são utilizadas células fotovoltaicas, feitas de um material semicondutor, que estão presentes nos painéis solares ou outro sistema de captação.

Quando a luz solar entra em contato com essas células, ocorre uma movimentação de elétrons no material semicondutor, o que acaba gerando a eletricidade no modelo direto. Ainda existem mais dois métodos para se obtê-la: o indireto e os Sistemas Passivos e Ativos de Energia Solar.

No modelo indireto são necessários mais processos para a produção de eletricidade. Ele é mais utilizado para a produção de energia heliotérmica. Nesse tipo, são usadas calhas, torres solares ou fresnais que contam com um receptor para coletar o calor gerado.

Os sistemas Passivo e Ativo também funcionam para a captação de energia térmica e podem ser de modo mais direto, como a aplicação em estufas para esquentar o ar, ou de maneira mais indireta, como bombas que fazem a água circular pelo seu sistema e sair aquecida.

Independentemente do método utilizado, a energia solar é bastante limpa e com impactos mínimos ao meio ambiente, além de auxiliar na redução da conta de eletricidade. Em alguns locais ou situações é possível utilizar totalmente essa alternativa para produzir energia.

A manutenção das placas solares é feita de modo bem simples, já que é comumente necessário apenas uma limpeza periódica para impedir que sujeiras ou folhas atrapalhem a captação de luz solar.

Como é feita a instalação?

A instalação de um sistema de energia solar não é complicada, mas é importante contar com o auxílio de um profissional para que todos os passos sejam seguidos corretamente, além dele conseguir resolver problemas que podem acontecer durante esse processo.

O primeiro passo é entender quanto o seu sistema de energia precisa produzir para conseguir suprir as necessidades do seu agronegócio. Para isso, é preciso verificar a quantidade de kWh utilizada mensalmente, informação obtida na sua conta de luz. O ideal é fazer uma média de gastos dos últimos 12 meses.

Após isso, você poderá realizar uma simulação do orçamento para a construção do sistema, além de encontrar uma empresa competente nesse ramo, fazer a contratação e marcar o melhor horário para a instalação.

Ao chegar no local em que deverá ser colocado o sistema de energia solar, o técnico responsável fará uma visita técnica para fornecer um orçamento mais preciso, já que a facilidade ou dificuldade em instalar o sistema poderá influenciar no valor final.

Depois, será feito um projeto para a instalação das placas, que prontamente será enviado para a distribuidora de eletricidade para que toda a etapa burocrática para a conexão da rede seja feita.

O sistema de energia elétrica será então instalado no local mais adequado na propriedade e, após isso, será feita a homologação das placas colocadas junto à distribuidora.

Com tudo pronto, você receberá as instruções de como utilizar os equipamentos e o sistema de energia solar no geral, e já poderá usufruir dos benefícios dessa alternativa limpa e econômica.

Quais as aplicações da energia solar no agronegócio?

É possível utilizar a energia solar para economizar em diversas atividades e setores do agronegócio, fazendo uma combinação com a utilização da eletricidade convencional.

Cerca elétrica

Para quem lida com a criação de animais, pode ser um problema certificar de que todos se mantenham dentro do cercado. Por isso, alguns pecuaristas utilizam cercas elétricas para que os animais não fujam.

Não é uma tarefa difícil realizar a instalação, além do fato de que elas não gastam tanta energia, já que a corrente que passa pela cerca é baixa para que nos animais não se machuquem.

Irrigação

A irrigação é uma atividade que também pode ser beneficiada pela energia solar. É possível que a eletricidade utilizada para ligar os irrigadores periodicamente seja feita por painéis solares.

Isso auxiliará na economia de energia e ainda permitirá que a sua plantação esteja sempre irrigada, durante o dia ou pela noite, a depender dos horários estipulados por você.

Produção de leite

Para quem trabalha com a produção de leite de maneira mais automatizada, geralmente utiliza equipamentos que fazem a ordenha das vacas ou realizam a fermentação do leite para a eliminação de bactérias.

Aqui, também pode ser utilizada a energia solar para permitir que esses processos continuem sendo feitos de modo rápido e prático, resultando em mais economia e mais lucros para o produtor rural.

Bombeamento de água

Outra atividade que pode ser beneficiada pela energia solar é o bombeamento de água, um item bastante importante para a alimentação dos bichos e para a irrigação das plantas.

A energia solar ajudará a abastecer as bombas que trarão a água de lugares remotos, que são difíceis de terem uma conexão de eletricidade eficiente ou frequente. Sua propriedade sempre estará abastecida e não precisará lidar com problemas relacionados à queda de energia elétrica.

Assim, entendendo como pode ser utilizada a energia solar no agronegócio, além de como ela é produzida e instalada nas propriedades rurais, você terá uma alternativa mais sustentável para abastecer a sua fazenda sem abrir mão da qualidade e ritmo de produção.

O Grupo CS Brasil atua no mercado de energia solar há muitos anos, oferecendo o melhor do setor para seus clientes em diversos ramos: indústria, residencial e para produtores rurais que querem economizar e ter uma fazenda mais amiga da natureza.

Entre em contato conosco agora mesmo e saiba como podemos ajudar o seu negócio a crescer de maneira saudável e menos impactante ao meio ambiente.