O agronegócio é uma das principais áreas do mercado nacional com solidez considerável, mesmo em tempos de crise — afinal, estamos falando do setor que promove alimentos para a subsistência de muitas pessoas, bem como somos um grande fornecedor de insumos para os demais países.

Porém, muitos ainda podem passar dificuldades para alcançar o resultado esperado. Por que isso acontece? Uma resposta possível é: a gestão do agronegócio pode estar deficitária. Mas como melhorar esse aspecto? Confira 4 dicas imperdíveis a seguir! Boa leitura!

1. Separe os custos por área

No agronegócio, é normal que algumas áreas tenham mais problemas de produtividade ao longo do ano, sendo necessárias mais intervenções do que outras. Isso porque há uma série de questões que podem influenciar nos plantios e, consequentemente, exigir um cuidado maior, com mais gastos a longo prazo.

Por exemplo, em anos com maior seca, será necessário um maior custo com irrigação para determinados plantios e isso precisa estar claro para o gestor, para que possa se prevenir e evitar dívidas que não consiga arcar futuramente.

Por isso, é fundamental separar os custos por área e por plantio, para conseguir identificar quais as áreas exigirão mais cuidados e investimentos, para se programar nesse quesito.

2. Busque novas tecnologias

Reduzir custos e conseguir aplicar tecnologias que facilitem no plantio e na gestão do agronegócio como um todo são fundamentais para o sucesso da empresa. Por exemplo, que tal conseguir praticamente zerar o custo com geração de energia elétrica utilizando painéis solares?

Além de promover um ambiente mais sustentável para o seu agronegócio, você poderia direcionar o valor poupado para investimentos em outras áreas e potencializar o crescimento do seu negócio. Muito bom, não é mesmo?

3. Mapeie o processo produtivo

O mapeamento do processo produtivo é fundamental para que consiga identificar quais são os pontos que exigem mais cuidados e investimentos financeiros, quais podem gerar gargalos internos e como conseguir minimizar possíveis problemas.

Para isso, liste quais são todos os processos realizados em sua propriedade, quem são os responsáveis, o cronograma de realização de cada um deles, quais são os resultados esperados e analise de que forma cada um está interligado com outro. Isso é importante, também, para saber a quem cobrar, em caso de problemas.

4. Conte com um software de gestão

Um software de gestão focado para o agronegócio pode auxiliar nos pontos que citamos anteriormente, além de contar com funcionalidades interessantes que podem contribuir positivamente para uma gestão equilibrada e eficiente do seu agronegócio.

Ele pode, por exemplo, auxiliar a estimar metas produtivas, comparar investimentos e lucratividade entre meses, gerar estimativas de vendas de acordo com a expectativa das safras, avaliar o momento certo de comprar insumos com fornecedores, observar inventário e avaliar giro de estoque, entre outros pontos.

Todos esses que citamos acima são fundamentais para que possa definir qual é o momento de agir, como agir e minimizar problemas que possam causar perdas produtivas e prejuízos a longo prazo.

Com essas dicas de gestão do agronegócio você consegue minimizar custos, alavancar resultados, bem como modernizar o seu negócio. E como falamos, um dos pontos que pode auxiliar positivamente é a implementação da energia solar em sua propriedade.

Tem interesse? Entre em contato e converse com um de nossos atendentes sobre o tema!